Organizar por:
Ver:

Das profundezas da Internet: Libero Sim


Na Internet, o tempo voa. Às vezes você vê um vídeo, compartilha com alguém e a pessoa diz que ele já é velho. Você vai, olha a data, e pqp, ele tem apenas 2 dias. É assim que funciona.

E se as coisas passam tão rápido na web, é normal que a gente esqueça de verdadeiras pérolas que um dia nos divertiram muito. Claro, Jeremias Muito Louco e Nissim Ourfali são eternos e jamais serão esquecidos, mas eles são é a exceção.

Por isso que criei essa nova seção no Vida Ordinária: pra gente rever aqueles vídeos que já assistimos anos atrás e adoramos, mas que pela velocidade das coisas nem lembrávamos mais que existiam.

O primeiro é essa paródia genial de High School Musical, Libero Sim. Quando saiu originalmente, inclusive, eu postei aqui no VO. E mesmo 5 anos depois continua perfeita e engraçada.

Baú dos Covers: a versão indie de Como Uma Deusa


Na festa de 20 anos da Vice, vários artistas foram convidados para cantar músicas que faziam sucesso na época em que a revista foi fundada.

Teve muita coisa bacana, mas nada tão inusitado e legal quanto Jarvis Cocker, o sensacional frontman do Pulp, cantando The Power of Love, hit na voz de Celine Dion e, aqui no Brasil, de Rosana. Sim, estamos falando da canção que deu origem a O Amor e o Poder e seu épico refrão de “Como uma deusaaaaaaa…”.

Ficou bom? Não. Ficou estranho? Ficou. Mas com o Jarvis sempre vale a pena conferir. Cover imperdível.

http://vidaordinaria.com/wp-content/uploads/2014/12/hobbit1-960x588_c.jpeg

[Resenha] O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos


Chega ao fim a segunda jornada de Peter Jackson pela Terra-Média, e devo admitir que acho muito difícil escrever sobre esse filme e sobre a trilogia como um tudo.

E isso por dois motivos: 1) diferente de outras sagas, onde cada filme se vale por si só, tanto Senhor dos Anéis quanto O Hobbit são uma única história dividida em três partes, então ver cada filme separadamente é estranho; 2) sou fã dos livros do Tolkien desde os 15 anos de idade, e já li todos mais de meia dúzia de vezes cada, o que faz com que eu tenha uma relação muito próxima com esse universo e um nível de exigência alto (apesar de não ser purista, sou a favor de alterações que beneficiem a adaptação).

Então já aviso que essa resenha vai ser longa e detalhada. Mas caso você queira um resumo, me antecipo à continuação do post: A Batalha dos Cinco Exércitos é muito bom, o melhor da trilogia. Mas a trilogia como um todo fica bem abaixo do que poderia ter sido, seja pelo potencial quanto na comparação com a trilogia de SdA.

Youtube Rewind 2014


Mais uma retrospectiva anual famosa acaba de sair. Dessa vez é a do Youtube, reunindo os grandes hits que bombaram durante 2014 na rede social de vídeos.

Tem os principais youtubers, alguns virais acidentais, referências aos clipes mais vistos e até algumas celebridades que usam bem o espaço digital. Bem legal (embora os de 2012 e 2013 tenham sido melhores).

Menu