Organizar por:
Ver:

Escrito por Alexandre Esposito

Pra se aquecer em qualquer lugar


Perfeito para quem quer se aquecer do frio ou criar um clima em qualquer ambiente. É uma lareira portátil, movida a combustível bio-ethanol líquido e fica dentro de uma espécie de mala, tipo aquelas de caixeiro viajante.

Os painéis de vidro são presos por imã ao aço e você retira para acender o fogo. E o melhor, não tem fumaça.

Via Digital Drops.

Por que ele, Natalie?


Sério, tem certas coisas que não entendo.

A Natalie Portman. Linda, inteligente, boa atriz. Tanta gente para ela escolher… tipo eu, por exemplo.

E ela se junta a um mendigão que canta música ruim tipo o Devendra Banhart?

E ainda por cima faz papel de idiota nesse clipe escroto dele?

Fala sério, ela deve fazer de sacanagem, só pra irritar todo mundo.

Seja legal, rebobine


Be Kind Rewind é o novo filme do Michel Grondry, diretor do excelente Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças. Assisti há poucas semanas cheio de expectativas, e existe uma palavra que define perfeitamente o filme: decepcionante.

Com uma premissa bizarra e interessante (sem querer um magnetizado Jack Black apaga todas as VHS de uma locadora de Danny Glover, que está aos cuidados do seu amigo Mos Def; e a partir disso eles passam a refilmar todos os filmes perdidos para que a loja não fiquei – ainda mais – perto da falência), o filme acaba se tornando uma experiência boba, onde poucas piadas funcionam. Fica sempre um gosto de que poderia ter sido melhor. Você muitas vezes esboça um sorriso, mas nunca consegue chegar de fato ao riso. O próprio Jack Black está abaixo do normal (ele, como sempre, basicamente interpreta a si mesmo, mas dessa vez não consegue divertir tanto).

Se você não viu, nem se preocupe. Procure o trailer no youtube e divirta-se, ele é melhor que o filme.

Menu