Organizar por:
Ver:

John Malkovich quer ser todo mundo


John Malkovich já era uma figuraça e ator adorado por suas excepcionais performances em filmes como Ligações Perigosas e Império do Sol. Mas depois do já clássico Quero Ser John Malkovich, de 1999, ele virou um ícone.

E inspirado nesse filme, o fotógrafo Sandro Miller, amigo do ator, realizou um ensaio que é simplesmente genial.

Se no longa de Spike Jonze, os personagens de John Cusack, Cameron Diaz e outros viviam entrando no corpo do John, dessa vez é ele que entra no corpo de várias personalidades, recriando fotos clássicos do séculos XX no ensaio “Malkovich, Malkovich”.

http://vidaordinaria.com/wp-content/uploads/2014/10/thiaguinho-agenda-de-shows-960x673_c.jpg

Thiaguinho remixado


João Brasil há muitos anos é um dos principais DJs e produtores musicais do Brasil, e parece ter um fetiche especial por remixar ou mashupar hits populares para os quais muitos de nós às vezes torcemos o nariz.

É meio que um jeito de mostrar que não tem música que não tenha jeito de ficar legal. É o caso de Caraca Muleke, do Thiaguinho, que nesse remix do João é praticamente imperdível para qualquer festa.

http://vidaordinaria.com/wp-content/uploads/2014/10/locomotiva-960x720_c.jpg

A Locomotiva


Acho que todo mundo aqui sabe o que é uma locomotiva, né? É aquele pedaço do trem que vai na frente, tem uma chaminé bonitinha e tudo.

Mas vocês se lembram qual é a função da locomotiva? É impulsionar o trem pra frente, puxando vagão por vagão até o seu destino. A locomotiva é importantíssima, essencial, mas sua existência simplesmente não faria sentido se ela não fizesse sua carga e/ou passageiros chegarem onde devem. A locomotiva é feita para todos os vagões, tripulantes e passageiros, e não apenas para o maquinista, certo?

Pois bem, aqui no Brasil existe um estado que gosta de dizer que é a locomotiva do país.

Baú dos Covers: Taylor Swift acústica


Não tenho nada contra a Taylor Swift. Acho até admirável ver uma artista com tanta popularidade escrever suas próprias músicas desde bem nova, algo cada vez mais raro entre os principais nomes das paradas.

Mas, apesar desse respeito por ela, achei simplesmente uma bosta o último single dela, Shake It Off. Achei forçado, distante da personalidade dela e… quer saber? Simplesmente ruim.

Mas a Andie, essa youtuber acostumada a fazer versões acústicas de hits pop veio e conseguiu fazer a música parecer boa. Aliás, boa não: ótima.

E se Game of Thrones tivesse sido lançada nos anos 60?


Game of Thrones é certamente uma das séries da atualidade com mais homenagens e paródias. E em meio a tanto conteúdo, é difícil achar algum que se destaque. Mas esse é o caso.

Criaram uma abertura para a série inspirada na estética que o grande Saul Bass imortalizou nos anos 60 e 70. A música tema também ganhou uma roupagem diferente, bem jazz.

Tentei achar a melhor palavra para definir como ficou o resultado, e a melhor que eu encontrei foi essa: classuda.

Faça seu próprio Groot


Acho que há poucas dúvidas de que Guardiões da Galáxia é o grande filme pipoca desse ano, e que o Groot foda.

Pois bem, para criar o personagem, um ser meio humanóide e meio árvore, foram gastos milhões de dólares e horas a fio de efeitos especiais. Mas para recriar uma imagem parecida com a dele é mais fácil: só precisa de uma árvore e um espelho.

http://vidaordinaria.com/wp-content/uploads/2014/09/puss1-960x640_c.jpg

Para ouvir: Puss n’ Boots


Uma das minhas mais recentes obsessões musicais é esse trio de country e folk com um pézinho no rock e no blues, e talvez tenha sido a principal razão de eu ter criado essa nova coluna no VO.

Puss n’ Boots, como o próprio trocadilho do nome sugere, é formado por três mulheres, dentre as quais a mais conhecida é a talentosíssima Norah Jones. Mas ao contrário do que muitos podem imaginar, o destaque nas músicas é bem dividido entre elas. Cada uma tem seus momentos de brilho.

Elas estão juntas há 6 anos, mas só lançaram seu primeiro álbum agora, em 2014, o No Fools, No Fun. O álbum mistura canções originais com covers incríveis de Wilco, Johnny Cash e Neil Young.

Ducktales com patos de verdade


Qualquer um que tenha crescido no fim dos anos 80 ou começo dos 90 tem um lugar no coração guardado para Ducktales.

A animação com o Tio Patinhas, seus três sobrinhos e o Capitão Boeing reuniam toda a aventura e o humor que eram tão ricos no entretenimento da época.

E nada melhor do que lembrar da série (e rir também) vendo essa recriação da clássica abertura, só que usando patos de verdade. Surreal e genial.

Menu