Organizar por:
Ver:

Videogames na vida real


Como seriam os jogos de videogame na vida real? É exatamente essa a pergunta que os comediantes do Mega64 tentam responder nos seus vídeos. Eles se definem como um “Jackass misturado com videogames”, e andam fazendo bastante sucesso no mercado de games, pois já fecharam contrato para fazer vídeos exclusivos para a UbiSoft, Nintendo e Microsoft.
A idéia de adaptar os jogos de videogame pra vida real é muito simples e o resultado de todos os vídeos ficaram sensacionais. Esses aqui, pra mim, são os melhores vídeos dos caras. Pros que ainda acompanham os lançamentos, o vídeo parodiando o vendedor de armas do Resident Evil 4 com certeza vai ser o melhor. “Ahhh…i’ll buy it at a high price! Strangeeerr!”.

FROGGER

TETRIS

RESIDENT EVIL 4

SUPER MARIO BROS. 3

Os 100 filmes por gênero, pelo AFI


O American Film Institute acaba de lançar mais uma lista dos 100 melhores filmes de todos os tempos. Digo mais uma porque eles adoram fazer isso, devem lançar uma por semana. Deve ser a única coisa que fazem, inclusive.

Os filmes inclusive são, na maioria, os mesmos que eles falam sempre, já tá meio batido. Uns incontestáveis, alguns discutíveis, muitas ausências, etc.

Mas pra quem é leigão e quer conhecer o “essencial” do cinema, é um bom começo (não digo nem conhecer todos… desses 100 eu só vi 71).

O diferente, e legal, dessa nova lista é que é dividida em pequenos Top 10 por categorias (gêneros).

Vejam a lista, abaixo.

DESENHOS ANIMADOS:
1. “Branca de Neve e os Sete Anões” (1938 )


2. “Pinóquio” (1940)
3. “Bambi” (1942)
4. “O rei Leão” (1994)
5. “Fantasia” (1942)
6. “Toy Story” (1995)
7. “A Bela e a Fera” (1991)
8. “Shrek” (2001)
9. “Cinderela” (1950)
10. “Procurando Nemo” (2003)

COMÉDIA ROMÂNTICA:
1. “Luzes da cidade” (1931), de Charles Chaplin


2. “Noivo neurótico, noiva nervosa” (1977), de Woody Allen
3. “Aconteceu naquela noite” (1934), de Frank Capra
4. “A princesa e o plebeu” (1953), de William Wyler

5. “Núpcias de escândalo” (1941), de George Cukor
6. “Harry e Sally” (1989), de Rob Reiner
7. “A costela de Adão” (1949), de George Cukor
8. “Feitiço da lua” (1987), de Norman Jewison
9. “Ensina-me a viver” (1971), de Hal Ashby
10. “Algo para recordar” (1993), de Nora Ephron

FAROESTE:
1. “Rastros de ódio” (1956), de John Ford

2. “Matar ou morrer” (1952), de Fred Zinnemann
3. “Os brutos também amam” (1953), de George Stevens
4. “Os imperdoáveis” (1992), de Clint Eastwood
5. “Rio vermelho” (1948), de Howard Hawks
6. “Meu ódio será sua herança” (1969), de Sam Peckinpah
7. “Butch Cassidy” (1969), de George Roy Hill
8. “Jogos e trapaças – Quando os homens são homens” (1971), de Robert Altman
9. “No tempo das diligências” (1939), de John Ford
10. “Dívida de sangue” (1965), de Elliot Silverstein

ESPORTIVOS:
1. “Touro indomável” (1980), de Martin Scorsese


2. “Rocky” (1976), de John G. Avildsen
3. “Ídolo, amante e herói” (1942), de Sam Wood
4. “Momentos decisivos” (1986), de David Anspaugh
5. “Sorte no amor” (1988), de Ron Shelton
6. “Desafio à corrupção” (1961), de Robert Rossen
7. “Clube dos pilantras” (1980), de Harold Ramis
8. “Correndo pela vitória” (1979), de Peter Yates
9. “A mocidade é assim mesmo” (1944), de Clarence Brown
10. “Jerry Maguire – A grande virada” (1996), de Cameron Crowe

MISTÉRIO:
1. “Um corpo que cai” (1958), de Alfred Hitchcock


2. “Chinatown” (1974), de Roman Polanski
3. “Janela indiscreta” (1954), de Alfred Hitchcock
4. “Laura” (1944), de Otto Preminger
5. “O terceiro homem” (1949), de Carol Reed
6. “O falcão maltês” (1941), de John Huston
7. “Intriga internacional” (1959), de Alfred Hitchcock
8. “Veludo azul” (1986), de David Lynch
9. “Disque M para matar” (1954), de Alfred Hitchcock
10. “Os suspeitos” (1995), de Bryan Singer

FANTASIA:
1. “O mágico de Oz” (1939), de Victor Fleming e King Vidor

2. “O senhor dos anéis: A sociedade do anel” (2001), de Peter Jackson
3. “A felicidade não se compra” (1947), de Frank Capra
4. “King Kong” (1933), de Merian C. Cooper e Ernest B. Schoedsack
5. “Milagre na Rua 34″ (1947), de George Seaton
6. “Campo dos sonhos” (1989), de Phil Alden Robinson
7. “Harvey” (1950), de Henry Koster
8. “Feitiço do tempo” (1993), de Harold Ramis
9. “O ladrão de Bagdá” (1924), de Raoul Walsh
10. “Quero ser grande” (1988), de Penny Marshall

FICÇÃO CIENTÍFICA:
1. “2001: Uma odisséia no espaço” (1968), de Stanley Kubrick


2. “Guerra nas estrelas” (1977), de George Lucas
3. “E.T. – O Extraterrestre” (1982), de Steven Spielberg
4. “Laranja mecânica” (1971), de Stanley Kubrick
5. “O dia em que a Terra parou” (1951), de Robert Wise
6. “Blade Runner – O caçador de andróide” (1982), de Ridley Scott
7. “Alien – O oitavo passageiro” (1979), de Ridley Scott
8. “O exterminador do futuro 2: O julgamento final” (1991), de James Cameron
9. “Vampiros de almas” (1956), de Don Siegel
10. “De volta para o futuro” (1985), de Robert Zemeckis

GÂNGSTERES:
1. “O poderoso chefão” (1972), de Francis Ford Coppola


2. “Os bons companheiros” (1990), de Martin Scorsese
3. “O poderoso chefão 2″ (1974), de Francis Ford Coppola
4. “Fúria sanguinária” (1949), de Raoul Walsh
5. “Bonnie e Clyde” (1967), de Arthur Penn
6. “Scarface: A vergonha de uma nação” (1932), de Howard Hawks
7. “Pulp Fiction – Tempo de violência” (1994), de Quentin Tarantino
8. “O inimigo público” (1931), de William A. Wellman
9. “Alma no lodo” (1931), de Mervyn Leroy
10. “Scarface” (1983), de Brian de Palma

TRIBUNAIS:
1. “O sol é para todos” (1962), de Robert Mulligan


2. “12 homens e uma sentença” (1957), de Sydney Lumet
3. “Kramer vs. Kramer” (1979), de Robert Benton
4. “O veredicto” (1982), de Sydney Lumet
5. “Questão de honra” (1992), de Rob Reiner
6. “Testemunha de acusação” (1957), de Billy Wilder
7. “Anatomia de um crime” (1959), de Otto Preminger
8. “A sangue frio” (1967), de Richard Brooks
9. “Um grito no escuro” (1988), de Fred Schepisi
10. “Julgamento em Nuremberg” (1961), de Stanley Kramer

ÉPICO:
1. “Lawrence da Arábia” (1962), de David Lean


2. “Ben-Hur” (1959), de William Wyler
3. “A lista de Schindler” (1993), de Steven Spielberg
4. “…E o vento levou” (1939), de Victor Fleming
5. “Spartacus” (1960), de Stanley Kubrick
6. “Titanic” (1997), de James Cameron
7. “Nada de novo no front” (1930), de Lewis Milestone
8. “O resgate do soldado Ryan” (1998), de Steven Spielberg
9. “Reds” (1981), de Warren Beatty
10. “Os dez mandamentos” (1956), de Cecil B. DeMille

E vocês? Teriam um Top 10 pra cada uma dessas categorias? Podem ir botando nos comentários… depois penso no meu e coloco lá.

Só na propaganda


Só nessa nossa (minha e dos outros “ordinários”) profissão pros estagiários que não ganham nada (ou quase nada) darem balão na galera com salário de 5 (ás vezes 6) dígitos. Essa campanha da Almap foi a única do Brasil (aliás, única da América Latina) a ganhar leão de ouro no festival de Cannes que está acontecendo essa semana. Feita por 2 estagiários. E é boa pra caramba.

EDIT: Acabei de receber por e-mail essa peça feita no Chile ano passado para um clube de vantagens de um jornal:

A idéia é um tanto parecida, mas não acredito em chupada, sério. As referências tão aí e idéias similares acontecem a toda hora, sem necessariamente serem chupadas. Além disso, a da Almap é bem mais bonita melhor executada também. E conceituada, já que deu campanha e não uma só peça.

Em vez de tentar pensar no pior, prefiro parabenizar a garotada da Almap (garotada? Quem sou eu pra falar, a dupla tem a MINHA idade) que fez um trabalho foda.

Stand-up


Ok, esse assunto não é nada novo. Mas eu acho simplesmente sensacional. Estou falando do stand-up comedy. Eu sempre via aquelas esquetes do Seinfeld, Chris Rock, entre outros gringos hilários, e ficava triste de ver que os daqui eram tão fraquinhos… E não é que a parada amadureceu de vez por aqui? É impressionante a quantidade de comediantes muito bons, em todos os cantos do país. Aí embaixo estão só alguns exemplos…

PS: destaque pra piada dos publicitários e pra galera do Comédia em Pé (que fez eu, o Bruno, a Natália e a Pinheiro literalmente chorarmos de rir).





Via Blog da Super

Doritos Broadcast Project


Depois exibir um comercial feito pelo consumidor no intervalo mais caro do planeta, e de lançar um concurso no myspace para criarem a trilha do seu próximo comercial, a Doritos aposta agora nos ET’s. É isso mesmo, os extraterrestres.

A nova campanha faz parte do Doritos Broadcast Project, e rolou só no Reino Unido. Os consumidores foram convidados a fazer um vídeo que mostrasse “como é a vida na Terra para alguém que está lá fora”. O filme vencedor foi “Tribe” criado por Matt Brown de apenas 25 anos.

E, acreditem, o plano de mídia contempla transmissões direto para o espaço (!). A cada seis horas a peça será emitida por poderosos transmissores na estação espacial européia EISCA, apontado para um sistema solar localizado a 42 anos-luz da terra, em um sistema muito parecido com o nosso.

Com essa novidade, a marca conseguiu realizar uma ação inovadora que conseguiu muita mídia espontânea e buzz entre os consumidores, blogueiros e pela internet. E, por ser a primeira peça publicitária transmitida para o espaço, a peça vai entrar pro Guiness Book.

Peter Charles, o gerente deste projeto na Doritos, disse assim: “Estamos constantemente procurando mostrar a nossa marca e agora estamos indo muito além do que qualquer marca já tenha ido. Ao transmitir o comercial vencedor para o universo, a Doritos está inovando e Matt Bowron, o vencedor, entrará no folclore da propaganda. Nós não devemos ficar tão surpresos se os alienígenas que chegarem à Terra saírem procurando por um saco de Doritos”.

P.S.: Detestei esse novo jeito de formatar do wordpress! =/

Via ADivertido

Menu